Arcturianos | Arcturianos
Ebook Guia do Chá Verde para baixar gratuitamente

Ebook Guia do Chá Verde para baixar gratuitamente

A planta utilizada na produção do Chá Verde é a Camellia sinensis (C. sinensis) cultivada na China (principal produtor, que faz uso do chá há cerca de 3.000 anos), além de Índia, Japão, Tailândia, Sri Lanka e Indonésia.

 

Na China, o Chá Verde é um forte elemento de identidade nacional, que mistura a história e a lenda, perdendo-se em memórias anteriores ao próprio reconhecimento histórico dos chineses como um povo.

 

Fala-se em cinco mil anos, mas não existem documentos ou provas de tão longínqua era.

 

Era um tempo mítico, em que o Sudeste Asiático não tinha as configurações hoje conhecidas. Mas isso não importa. O chá faz parte da vida na China desde os tempos ancestrais, fato comprovado pela tradição oral, por documentos e outras formas de registro.

 

Chá Verde e Espiritualidade

 

Curiosa é a enumeração que inclui o chá entre os “sete tesouros” dos literatos, ao lado da cítara, do xadrez, da caligrafia, da pintura e do álcool; faz parte também das “sete necessidades” da vida diária, junto com a lenha, o arroz, o óleo, o sal, o molho de soja e o vinagre.

 

A sutileza do Chá Verde está no mesmo nível daquilo que a estética chinesa considera essencial em qualquer obra de arte. Associa-se à noção de harmonia e tem laços com a filosofia, a religião, enfim, com a maneira chinesa de ver o mundo.

 

Lu Yu, no “Clássico do Chá”, dizia: “ao se consagrar ao chá, impregnando-se de sabedoria, de princípios morais, de virtude, por meio do chá cultivando sua natureza e desenvolvendo uma boa conduta, refletindo sobre a existência, medita-se e busca-se a verdade, de modo a encontrar o bem-estar espiritual e a pureza moral, atinge-se o reino superior do chá: o caminho do chá”.

 

Existem diferenças e hierarquizações, associando o modo de consumir o chá (puro ou misturado com outros ingredientes) ao nível de evolução do indivíduo no “caminho do chá”.

 

Fatores práticos como a qualidade da água, das folhas, dos utensílios, a habilidade no preparo, aliados às dimensões espirituais, tornam o “caminho do chá” (cha dao) uma ciência e uma arte.

 

“Água e fogo não se toleram, mas, no preparo do chá, não apenas eles se toleram, mas se aproveitam um do outro”.

 

Na cultura japonesa, o uso do chá apresenta particularidades que distinguem esse costume do que é praticado na China.

 

O chá se tornou conhecido no Japão por causa do intercâmbio entre monges budistas, que iam à China para estudar e que atuavam como um tipo de embaixadores.

 

Tornou-se com o tempo popular nos mosteiros, entre os monges, para ajudá-los a se manter acordados durante a vigília do zazen (meditação sentada).

 

Com base nos ensinamentos do zen-budismo, o Caminho do Chá é conhecido no idioma japonês como sadô, shadô ou chanoyu e representa, mais que uma cerimônia, uma filosofia existencial que tem influenciado o estilo de vida japonês.

 

Seu princípio, conhecido como wabi, pode ser traduzido como desapego, singeleza e desprezo pelo desnecessário.

 

A cultura japonesa tem sido acolhida com muita simpatia no Brasil. Descendentes ou não de orientais, muitos brasileiros são adeptos da culinária japonesa, ou se interessam pela filosofia Zen e pelos segredos da cerimônia do chá.

 

 

Ebook Guia do Chá Verde para baixar gratuitamente


 

Geometria Sagrada Elemento

Geometria Sagrada Elemento

Geometria Sagrada Elemento: essa frequência ajuda você a decidir o que é apropriado para você e o que não é. Janosh

Cada objeto, pessoa ou situação mantém uma afinidade mais forte com determinada qualidade da matéria, devido às suas propriedades e características.

Cada um de nós tem uma qualidade da matéria que é predominante.

Algumas qualidades nos são mais agradáveis e fáceis de lidar, enquanto outras não.

Alguns objetos, pessoas ou situações nos proporcionam uma aceleração em nosso processo de expansão da consciência, ao passo que outros nos causam atrasos.

Saber escolher o que nos é adequado é uma arte e requer atenção e análise.

Alinhemo-nos com o nosso elemento predominante e deixemos que a Suprema Inteligência conclua.


Afirmação:


Eu nasci para o que faço.


Geometria Sagrada Elemento

Geometria Sagrada Arcturiana Elemento | Janosh Art

 


Conheça outros Códigos Arcturianos.
Veja como usar os Códigos Arcturianos.


 

Desejo e Necessidade, o olho maior que a barriga

Desejo e Necessidade, o olho maior que a barriga

Na filosofia, o desejo é uma tensão em direção a um fim que é considerado, pela pessoa que deseja, uma fonte de satisfação.

É uma tendência algumas vezes consciente, outras vezes inconsciente ou reprimida.

Quando consciente, o desejo é uma atitude mental que acompanha a representação do fim esperado. Enquanto elemento apetitivo, o desejo se distingue da necessidade fisiológica ou psicológica que o acompanha por ser o elemento afetivo do respectivo estado fisiológico ou psicológico.

Tradicionalmente, o desejo pressupõe carência, indigência.

Um ser que não carecesse de nada não desejaria nada, seria um ser perfeito, um deus.

Por isso, Platão e os filósofos cristãos tomam o desejo como uma característica de seres finitos e imperfeitos.

Tradicionalmente, os filósofos viram o Bem como o objeto do desejo. Atualmente, isso é questionado.


 

Osho – Necessidades e desejos

 


Os desejos são muitos, as necessidades são poucas. As necessidades podem ser satisfeitas; os desejos, nunca.

Desejo é uma necessidade que enlouqueceu. É impossível satisfazê-lo. Quanto mais você tentar satisfazê-lo, mais ele pedirá.

Conta uma história sufi que, quando Alexandre morreu e chegou ao paraíso, ele estava carregando todo o seu peso: todo o seu reinado, ouro, diamantes – é claro que não em realidade, mas como uma ideia.

Ele estava demasiadamente oprimido pelo fato de ser Alexandre. O guardião do portal do paraíso começou a rir e perguntou: “Por que você está carregando tanto fardo?”

Alexandre retrucou: “Que fardo?”. Então o guardião lhe deu uma balança, em um dos seus pratos colocou um olho e pediu a Alexandre para colocar no outro prato todo o seu peso, sua grandeza, seus tesouros e o reinado.

Mas aquele olho ainda permaneceu mais pesado que todo o reino de Alexandre.

O guardião disse: “Esse é um olho humano. Ele representa o desejo humano e não pode ser satisfeito, não importa quão grande seja o seu reino e quão intensos sejam os seus esforços.”

Depois, o guardião jogou um pouco de poeira no olho, que imediatamente piscou e perdeu todo o seu peso.

Uma pequena poeira de entendimento precisa ser jogada no olho do desejo.

O desejo desaparece e permanece somente a necessidade, que não é pesada.

As necessidades são muito poucas e são belas.

Os desejos são feios e transformam os seres humanos em monstros; eles criam loucos.

Assim que você começar a aprender a escolher a serenidade, um pequeno quarto será suficiente, uma pequena quantidade de comida será suficiente, poucas roupas serão suficientes, uma pessoa amada será suficiente.

 

Osho

A última profecia de Peter Deunov e o advento da nova Idade de Ouro da Humanidade

A última profecia de Peter Deunov e o advento da nova Idade de Ouro da Humanidade

Peter Konstantinov Deunov nasceu a 11 de Julho de 1864, ao meio-dia, na aldeia Hadarcia (parte do Império Otomano, hoje Nikolaev, a 30 quilómetros da cidade búlgara de Varna).

É o terceiro filho do sacerdote Konstantin Deunovski e Dobra Atanassova que, antes dele, teve um filho chamado Atanas e uma filha chamada Maria.

Em 1872, matriculou-se na escola primária na aldeia búlgara Haradcia, a qual encerrou durante a guerra de libertação Russo-Turca (1877-1887).

Após a libertação da Bulgária, Deunov completou os seus estudos superiores na escola masculina quinquenal em Varna.

Em 25 de Julho de 1886, terminou os seus estudos na escola metodista americana em Svishtov e depois leciona dois anos na escola Hotanza, perto de Russe.

No mês de agosto de 1888, partiu para os Estados Unidos e matriculou-se como estudante na Faculdade de Teologia Metodista “Drew”, em Madison, estado de Nova Jersey e terminou os seus estudos em 1892.

No Outono de 1892 matriculou-se na Faculdade de Teologia da Universidade de Boston; escreveu a sua dissertação com o tema “A migração das tribos germânicas e sua cristianização” e faz a sua formatura em Junho de 1893.

Durante um ano, frequenta as aulas na Faculdade de Medicina da Universidade de Boston e em 1894 obteve um certificado que lhe dá o direito de exercer medicina.

Em 1895, Peter Deunov regressa à Bulgária e passou até fins de 1899 em solidão e trabalho intenso e profundo.

Estabeleceu-se em Varna e renúncia os empregos de pregador metodista e teósofo que lhe são oferecidos.

No Outono de 1896, escreveu o livro “Nauka i vazpitanie ” (“Ciência e Educação”), no qual analisa a vida do homem no drama do mundo e fala sobre os conceitos básicos da nova cultura do próximo século.

A 7 de março de 1897 com a idade de 33 anos, recebeu o seu nome espiritual, Beinsa Douno, e decidiu fundar a Fraternidade Branca Universal.

De 1900 a 1942 organiza, durantes os meses de Agosto, os conselhos anuais da Fraternidade Branca Universal, em lugares diferentes. Em 1904 mudou-se para Sofia. Ele começa a pregar publicamente, na forma de palestras.

Em 4 de maio de 1936, um ativista do Partido Democrata atacou-o, batendo-o severamente, causando hemorragia e paralisia cerebral. Apesar da sua doença, a 14 de julho de 1936, foi, com seus seguidores, aos Sete Lagos de Rila e a 12 de agosto, restabelece completamente a saúde.

Deixa o seu corpo físico a 27 de Dezembro de 1944, um dia antes da milícia comunista chegar para prendê-lo.

Peter Deunov foi um médico, filósofo, músico e clarividente. Na década de 40, a sua Fraternidade contava só na Bulgária, com mais de 40.000 seguidores.

Era um mestre de grande carisma, reconhecido como tal por muitos dos seus contemporâneos. Ele é creditado a numerosos milagres e maravilhas.

Criou centenas de composições musicais, cânticos e músicas sacra; Introduziu a Paneuritmia, ou seja, “o Supremo Ritmo Cósmico”, uma dança sagrada e ensinou exercícios de ginástica, assim como muitos outros métodos, fórmulas e orações para o desenvolvimento espiritual do homem e das sociedades humanas.

Seus preceitos básicos foram: o Amor que traz a Vida, a Sabedoria que dá a Luz, a Verdade que dá a Liberdade.

De acordo com Pavel Birukov, biógrafo de Lev Tolstoi, antes de sua morte em 1910, o grande pensador e escritor russo abandona Iasna Polyana com o desejo de partir para a Bulgária para conhecer Peter Deunov.

O Papa João XXIII, quando ainda era Cardeal Giuseppe Roncalli, reconhece Deunov como embaixador do Vaticano, na Bulgária antes da Segunda Guerra Mundial, e disse dele: “Na era contemporânea o maior filósofo vivo na Terra é Peter Deunov”

Em conexão com a morte de Albert Einstein, a Rádio Nacional francesa começou a exibir um programa com algumas de suas intervenções; em uma delas, o grande cientista diz: “O mundo inteiro se curva diante de mim, mas eu me curvo diante do Mestre Peter Deunov da Bulgária”

De acordo com as memórias de Boyan Boev, um dos discípulos de Peter Deunov, num debate com ele no Mónaco, em 1910, Rudolf Steiner diz: “Ao mundo eslavo está destinada uma grande missão. E em particular, a Bulgária, vai contribuir muito para a elevação espiritual da humanidade. Em torno da Bulgária, há um movimento potente, no qual como chefe está um grande iluminado espiritual “.

Jiddu Krishnamurti, líder do Movimento Teosófico, rejeita a ideia de ser declarado Maitreya e Cristo, e diz diante o presente público no Congresso Mundial Teosófica na Holanda que o Mestre do Mundo está na Bulgária.

Onisaburo Deguchi, líder espiritual do movimento japonês Oomoto, diz: “Eu sou um sábio, o Mestre está na Bulgária.”

Alguns dias antes de sua partida para o outro mundo, e enquanto ele estava em estado de profundo transe mediúnico, ele fez uma extraordinária profecia, a propósito da época conturbada que nós atravessamos hoje, do ‘tempo do fim’, e do advento da nova Idade de Ouro da humanidade.

Eis esse perturbador testamento. Ele é de uma atualidade tão vibrante, que se chega a duvidar que essas palavras tenham podido ser pronunciadas há quase sessenta anos.

 

A última profecia de Peter Deunov

 

“No curso dos tempos, a consciência do homem atravessou um muito longo período de obscuridade.

Essa fase, que os Hindus chamam de “Kali Yuga”, está a ponto de ser concluída.

Nós nos encontramos, hoje, na fronteira entre duas épocas: aquela do Kali Yuga e aquela da Nova Era na qual nós entramos.

Uma melhoria gradual produz-se nos pensamentos, nos sentimentos e nos atos dos humanos, mas todos estarão, em breve, submissos ao Fogo divino, que os purificará e que os preparará para a Nova Época.

Assim, o homem se elevará a um grau superior de consciência, indispensável à sua entrada na Nova Vida. É isso que se entende por “Ascensão”.

Alguns decênios escoarão antes que esse Fogo venha, que transformará o mundo, a ele aportando uma nova moral.

Essa imensa onda chega do espaço cósmico, e inundará toda a Terra.

Todos aqueles que tentarem a ela opor-se serão levados e transferidos para outros lugares.

Embora os habitantes desse planeta não se encontrem, todos, no mesmo grau de evolução, a nova onda será sentida por todos e cada um.

E essa transformação tocará não, unicamente, a Terra, mas, também, o conjunto do Cosmos.

A única e melhor coisa que o homem pode fazer agora é voltar-se para o Senhor e, melhorando conscientemente nisso, elevar seu nível vibratório, para encontrar-se em harmonia com essa onda potente que, em breve, vai afogá-lo.

O Fogo de que eu falo, que acompanha as novas condições oferecidas ao nosso planeta, renovará, purificará, reconstruirá tudo: a matéria será refinada, seus cursos serão liberados da angústia, das perturbações, da incerteza, e eles se tornarão luminosos; tudo será melhorado, elevado; os pensamentos, sentimentos e atos negativos serão consumidos e destruídos.

Sua vida atual é uma escravidão, uma prisão pesada.

Compreendam sua situação e liberem-se dela!

Eu lhes digo: saiam de sua prisão!

É, verdadeiramente, desolador ver tantos desvarios, tanto sofrimento, tanta incapacidade para compreender onde se encontra sua verdadeira felicidade.

Tudo o que está ao seu redor vai, em breve, desmoronar e desaparecer.

Nada mais restará dessa civilização nem de sua perversidade; toda a Terra será abalada e mais nenhum traço subsistirá dessa enganosa cultura que mantém os homens sob o jugo da ignorância.

Os tremores de terra não são, unicamente, fenômenos mecânicos, eles têm, também, por objetivo despertar o intelecto e o curso dos humanos, para que eles se liberem de seus erros e de suas loucuras e que eles compreendam que não estão sozinhos no universo.

Nosso Sistema Solar atravessa, agora, uma região do Cosmos na qual foi, em outros tempos, destruída uma constelação que deixou sua parca, seu pó.

Essa travessia de um espaço contaminado é uma fonte de envenenamento não, unicamente, para os habitantes da Terra, mas para todos os habitantes de outros planetas de nossa galáxia.

Apenas os sóis não são afetados pela influência desse ambiente hostil.

Essa região nomeia-se «a décima terceira zona»; chamam-na, também, “a zona das contradições”.

Nosso planeta ali permaneceu confinado durante milhares de anos, mas nós nos aproximamos, enfim, da saída desse espaço de trevas, e estamos a ponto de atingir uma região mais espiritual, na qual vivem seres mais evoluídos.

A Terra segue, agora, um movimento ascendente, e cada um deverá esforçar-se para harmonizar-se com as correntes da Ascensão.

Aqueles que recusam submeter-se a essa orientação perderão a vantagem de boas condições que lhes são, doravante, oferecidas para elevar-se.

Eles permanecerão atrás da evolução e deverão esperar dezenas de milhões de anos pela vinda de uma nova onda ascendente.

A Terra, o Sistema Solar, o Universo, tudo se move em uma nova direção, sob o impulso do Amor.

A maior parte de vocês considera, ainda, o Amor como uma força irrisória, mas, na realidade, é a maior de todas as forças!

O dinheiro e o poder continuam a ser venerados como se o curso de sua vida dependesse disso.

No futuro, tudo será subordinado ao Amor e tudo a ele servirá.

Mas é através dos sofrimentos e das dificuldades que a consciência do homem deverá despertar.

As terríveis predições do profeta Daniel, escritas na Bíblia, reportam-se à época que se abre.

Produzir-se-ão inundações, furacões, incêndios gigantescos e tremores de terra que varrerão tudo.

O sangue correrá em abundância.

Haverá revoluções; explosões terríveis ecoarão de numerosas regiões da Terra.

Onde há a terra virá a água e onde há a água virá a terra.

Deus é Amor e, no entanto, trata-se, aí, efetivamente, de um castigo, de uma resposta da Natureza contra os crimes perpetrados pelo homem desde a noite dos tempos contra sua Mãe, a Terra.

Após esses sofrimentos, aqueles que serão salvos – os escolhidos – conhecerão a Idade de Ouro, a harmonia e a beleza ilimitadas.

Mantenham, portanto, sua paz e sua fé, quando vier o tempo do sofrimento e do terror, porque está escrito que nenhum fio de cabelo cairá da cabeça do justo.

Não se desanimem; prossigam, simplesmente, seu trabalho de aperfeiçoamento pessoal.

Vocês não têm ideia alguma do futuro grandioso que os espera.

Uma Nova Terra surgirá, em breve.

Em algumas semanas, o trabalho será bem menos exigente, e cada um terá o tempo para consagrar a atividades espirituais, intelectuais e artísticas.

A questão das relações entre o homem e a mulher será, enfim, resolvida na harmonia: tanto um como o outro terão a possibilidade de seguir suas aspirações.

As relações de casais serão baseadas na estima e no respeito recíprocos.

Os humanos viajarão através dos diferentes planos e cruzarão os espaços intergalácticos.

Eles estudarão seu funcionamento e estarão, rapidamente, aptos a conhecer o Mundo Divino, fundir-se com a Cabeça do Universo.

A Nova Era é aquela da sexta raça.

Sua predestinação é a de preparar-se para acolhê-la, vivê-la.

A sexta raça constituir-se-á em torno da ideia de Fraternidade.

Não haverá mais conflitos de interesses pessoais; a única aspiração de cada um será a de conformar-se à Lei do Amor.

A sexta raça será aquela do Amor.

Um novo continente será formado por ela.

Ela jorrará do Pacífico, para que o Altíssimo possa, enfim, estabelecer Sua permanência nesse planeta.

Os fundadores dessa nova civilização, eu os chamo “Irmãos da Humanidade” ou, ainda, “Filhos do Amor”.

Eles serão inabaláveis no bem e eles representarão um novo tipo de homens.

Os homens formarão uma família, como um grande corpo, e cada povo representará um órgão desse corpo.

Na nova raça, o Amor será manifestado de uma maneira tão perfeita, que o homem atual apenas pode apenas, ainda, ter uma ideia muito vaga.

A Terra continua um terreno propício às lutas, mas as forças tenebrosas vão recuar e ela será liberada.

Os humanos, ao ver que não resta mais outro caminho, engajar-se-ão naquele da Nova Vida, aquele da salvação.

Em seu orgulho insensato, alguns continuarão até o fim, a esperar continuar a levar, na Terra, uma vida que a Ordem Divina reprova, mas cada um acabará por compreender que a direção do mundo não lhe pertence.

Uma nova cultura surgirá, que repousará sobre três princípios diretores: a elevação da mulher, a elevação dos humildes, dos frágeis e a proteção dos direitos do homem.

A Luz, o bem e a justiça triunfarão; isso é apenas uma questão de tempo.

As religiões devem ser purificadas.

Cada uma abraça uma partícula do Ensinamento dos Mestres da Luz, mas obscurecida pelo aporte incessante de desvios humanos.

Todos os crentes terão que se unir e pôr-se de acordo sobre um princípio, aquele de colocar o Amor como base de toda crença, qualquer que seja.

Amor e Fraternidade: é essa a base comum!

A Terra será, em breve, varrida pelas ondas extraordinariamente rápidas da Eletricidade Cósmica.

Daqui a alguns decênios, os seres maus e equivocados não poderá suportar sua intensidade.

Eles serão, então, absorvidos pelo Fogo Cósmico, que consumirá o mal que os possui.

Em seguida, eles se arrependerão, porque está escrito que “cada carne glorificará o Senhor”.

“A Terra será, em breve, varrida pelas ondas extraordinariamente rápidas da Eletricidade Cósmica”.

Nossa mãe, a Terra, desembaraçar-se-á dos homens que não aceitarem a Nova Vida.

Ela os rejeitará como frutos avariados.

Eles não poderão mais, em breve, reencarnar nesse planeta; os espíritos criminosos tampouco.

Apenas permanecerão aqueles que possuírem o Amor neles.

Não há mais lugar sobre a Terra que não esteja sujo de sangue humano ou animal; é preciso, portanto, que ela sofra uma purificação.

E é para isso que alguns continentes atuais serão imersos, enquanto outros surgirão.

Os homens não suspeitam de quais perigos eles são ameaçados.

Eles continuam a perseguir objetivos fúteis e a procurar o prazer.

Aqueles da sexta raça estarão, ao contrário, conscientes da dignidade de seu papel e respeitosos da liberdade de cada um.

Eles se nutrirão, exclusivamente, de produtos do mundo vegetal.

Suas ideias terão o poder de circular tão livremente como o ar e a luz de nossos dias.

As palavras «Se vocês não nascem de novo» aplicam-se à sexta raça.

Leiam o capítulo 60 de Isaías.

Ele se reporta à vinda da sexta raça, a Raça do Amor.

Após as Tribulações, os homens pararão de pecar e reencontrarão o caminho da virtude.

O clima de nosso planeta será, por toda a parte, moderado, e as variações brutais não existirão mais.

O ar voltará a tornar-se puro, assim como as águas.

Os parasitas desaparecerão.

Os homens se lembrarão de suas encarnações passadas e experimentarão prazer de constatar que estão, enfim, liberados de sua antiga condição.

Assim como se desembaraça a videira de seus parasitas e de suas folhas mortas, assim agem os Seres evoluídos para prepararem os homens para servirem ao Deus do Amor.

Eles dão a elas boas condições para crescer e desenvolver-se e, para aqueles que querem, efetivamente, ouvi-los, eles dizem: «Nada temam! Ainda um pouco de tempo e tudo vai arranjar-se; vocês estão no bom caminho.

Que aquele que quer entrar na Nova Cultura estude, trabalhe, conscientemente, e prepare-se».

Graças à ideia de Fraternidade, a Terra tornar-se-á um lugar abençoado, e isso não tardará.

Mas, anteriormente, grandes sofrimentos serão enviados para despertar as consciências.

Os pecados acumulados durante milhares de anos deverão ser redimidos.

A onda ardente que emana do Alto contribuirá para liquidar o carma dos povos.

A liberação não pode ser mais atrasada.

A humanidade deve preparar-se para as grandes provas inevitáveis que vêm e que aportarão o fim do egoísmo.

Sob a Terra, algo de extraordinário prepara-se.

Uma revolução grandiosa e absolutamente inconcebível manifestar-se-á, em breve, na natureza.

O Senhor decidiu endireitar o mundo, e Ele vai fazê-lo!

É o fim de uma época; uma nova ordem vai substituir a antiga, uma ordem na qual reinará o Amor sobre a Terra.”

 

Peter Deunov – Declarações sobre o Futuro – 1944

Geometria Sagrada Eco

Geometria Sagrada Eco

Geometria Sagrada Eco: essa frequência lhe dá uma percepção clara sobre que energia você transmite e quando ela vai ecoar de volta para você. Janosh


Toda energia que emitimos se transforma em ações, quer sejam em atos propriamente ditos, palavras ou pensamentos.

Todas as nossas ações geram resultados, aos quais chamamos de frutos das ações.

Cedo ou tarde, nós acolhemos e provamos esses frutos.

Ações harmônicas resultam em frutos saudáveis e que nos dão prazer.

Ações desarmônicas resultam em frutos amargos e que nos causam dor.

O entendimento dessa dinâmica é libertador e não deve nos deixar nem apegados aos bons frutos, nem avessos aos maus.

Portanto, estejamos atentos à sincronia da energia que emitimos agora, com os frutos que nos chegam.

Entendamos como nossa energia repercute no Universo.


Afirmação:


Eu percebo com clareza tanto o que transmito quanto o que recebo, através dos ecos da Alma.


Geometria Sagrada Arcturiana Eco

Geometria Sagrada Arcturiana Eco | Janosh Art

 


Conheça outros Códigos Arcturianos.
Veja como usar os Códigos Arcturianos.